Get Adobe Flash player

CRLTE - Entidades

CRLTE - Listed

Para uma melhor organização e gestão do seu portal na web, a LUMO TRANSPORT [LTP 001] (em diante, LT) identifica de forma exclusiva e única, todas as entidades ligadas aos modos de transportes, assim como as entidades que complementam esta área como a indústria e fabricantes, como todas as organizações e associações, assim como por exemplo as agências de viagens e os hotéis. A configuração, modelos e atribuição do CRLTE (Código de Registo LUMO TRANSPORT de Entidades) é uma criação da responsabilidade da LT, com os respetivos © direitos de copyright, podendo cada entidade usufruir da importância que lhe empresta, para os seus mais variados suportes a nível de imagem e identificação e de forma livre, pois terá o maior interesse, porque todos os nossos leitores, percebem e identificam todas as entidades também pelo seu CRLTE.

Como exemplo, pode o nosso/vosso CRLTE ser inserido em sites, portais, revistas, boletins, postais, relatórios & contas, publicidade, cd's e vídeos. O fabrico de pin's com o símbolo CRLTE, assim como outro tipo de suportes similares do género de brindes, está sujeito a autorização por escrito, por parte da LT.

Assim, sempre que façamos referência a qualquer entidade neste portal, de seguida é sempre referido o seu [CRLTE]. Também todas as entidades devem referir o seu CRLTE quando comunicam connosco, a fim de serem corretamente identificados. A breve prazo, o seu uso será uma marca imprescindível de qualidade e de prestígio para quem o usa.

Nos modelos que em baixo se editam, percebe-se a conceção dos mesmos CRLTE. Assim, todas as entidades ligadas aos transportes aéreos, o seu código é inscrito na cor azul, nos transportes ferroviários, a cor é o vermelho, nos transportes rodoviários é o cinzento e nos transportes marítimos e fluviais é o verde (4 cores dominantes e que identificam sempre o modo de transporte), e finalmente, para as outras entidades fora destes mesmos modos de transporte, a cor é o púrpura. Para a LT, em exclusivo, o seu CRLTE é inscrito em cor de laranja.

Todos os códigos possuem o mesmo tamanho oficial, sempre no formato png, com o logo da LT, na parte superior, com a designação Listed sobre fundo negro ao centro e com o CRLTE na parte inferior, inscrito na respetiva cor em cima explicada e composta sempre por 3 letras e 3 algarismos. A atribuição de cada código pertence à LT e não pode o mesmo ser alterado de alguma forma, com exceção da seguinte particularidade: O tamanho oficial de cada CRLTE que está editado nas respetivas fichas dos operadores (cf TAP, em Air/Operadores/Pax/Airlines of Europe ou CP, em Rail/Operadores/Pax por exemplo) é de 440 x 534 e já com as margens incluídas. O CRLTE não pode sofrer um aumento do seu tamanho original, mas pode em dimensão miníma, ser reduzido só até 35 % do seu tamanho, a fim de poder ser inserido com qualidade e ser bem percebido e visto, em sites, portais, revistas, livros, publicações, etc.

Quando o suporte da entidade que vai receber o seu CRLTE tiver fundo branco, o logo apresenta-se como está. Quando isso não acontecer e a fim de o mesmo CRLTE ficar bem inserido, deve-se abrir o logo no formato png e limpar as sombras, seja do lado direito, seja em baixo, a fim de ficar com as margens limpas e assim ser editado de forma perfeita, conforme o seguinte exemplo do CRLTE da LT que só pode ser usado pela mesma:

LTP001 exemplo

Em baixo, edita-se para comparação e nas respetivas cores e como exemplo, os CRLTE da TAP, CP, RNE, TT e Agência de Viagens Abreu.

2345exemplo

Para qualquer dúvida sobre esta matéria, queiram proceder em conformidade e contatar para o seguinte email  Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar."> Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Quando o CRLTE de cada entidade, o fizer editar no seu site ou portal, deve o mesmo estar linkado para o portal da LT.

O uso indevido e abusivo destes símbolos por outras entidades que não estão em correspondência com os mesmos, está sujeita à legislação penal aplicável em Portugal. 

Em anexo, edita-se a listagem das entidades por ordem alfabética ( a ordem de da, de, do pode não ser seguida) com os códigos (LISTED) já atribuídos:

Listed 2015.06

ASS Association/Associação

AUT Authority and Police/Autoridade e Polícia

CGO Cargo Operator/Operador de Carga

CRT Courts/Tribunais

FIN Former Infra Operator/Antigo Operador Infra

FMF Former Manufacturer/Antigo Construtor

FOP Former Operator/Antigo Operador

FWS Fan Web Site/Site Fã Web

GOV Governments/Governos

GRO Group/Grupo

HOT Hotels/Hotéis

INF Infra

LSG Leasing

MDF Modeller Manufacturer/Fabricante de Modelismo

MED Media

MFR Manufacturer/Construtor          

MUS Museum/Museu

ORG Organisation/Organização

PAX Passenger Operator/Operador de Passageiros

PCO Passenger Cargo Operator/Operador Universal (Passageiros+Carga)

PTO Private Transport Organization/Organização Privada de Transportes

TCO Training and Consultancy/Formação e Consultadoria

TRA Travel Agencies/Agências de Viagens

Nota importante:

- Nem sempre é observado o nome oficial da firma, por exemplo, nesta Listagem, a companhia aérea alemã Lufthansa é assim descrita e não com o seu nome oficial que é Deutsche Lufthansa, a fim de ser mais fácil a procura das entidades, por quem as consulta.

- Quando a entidade tiver o seu nome sobre fundo amarelo, significa que é uma entidade muito importante, quanto tiver a cor púrpura, significa que já não existe ou já não está operacional, fazendo então parte do passado (sem existência legal no presente) e por fim quando o nome estiver em vermelhosignifica que estas entidades, embora tivessem existido ou possam existir hoje em legalidade no nosso país, a LT por questões de princípio na conceção correta dos transportes (caso da RAVE, entretanto já extinta, dando razão à nossa sempre negativa opinião, quando o governo PS a criou) e de trágico conhecimento de muitas décadas do modus operandi altamente penalizador e injusto para o cliente/utente dos transportes (caso dos Sindicatos) e de perda de imagem para os respetivos operadores com custos elevadíssimos, tem o direito de não reconhecer nunca a sua existência.