As Locomotivas a Vapor Mikado 141R da SNCF

No pós-guerra, a França estava muito devastada e a sua indústria, nomeadamente ferroviária, também se encontrava em perfeita agonia. Finda a II Guerra Mundial, havia que voltar a fazer circular os comboios em terras gaulesas e muitas locomotivas a vapor da SNCF estavam já muito envelhecidas e centenas delas estavam totalmente destruidas pelos bombardeamentos do III reich nazi, assim como muitos depósitos, especialmente na zona Este da França. A eletrificação já exisia em algumas linhas, mas ainda residual, sem grande expressão.

Assim, na impossibilidade da indústria ferroviária francesa dar resposta na fabricação de novas locomotivas a vapor, as autoridades francesas deram à SNCF verbas para aquisição de uma grande quantidade de locomotivas a vapor e a escolha recaiu nos Estados Unidos, seu aliado na guerra, mas que embora tenha participado no maior conflito armado da história, o seu território nunca esteve ocupado pelos nazis, e a sua indústria transformou-se para alimentar o esforço de guerra americano. Pela importância que tiveram para a França, estas locomotivas ficaram conhecidas como locomotivas da Libération.

Nesse sentido a SNCF encomendou aos Estados Unidos 1340 locomotivas, de tipo Mikado, e que constituíram a série 141R 1 à 1340.

O mais espantoso é que  esta enorme quantidade demorou apenas 2 anos a ser construída, mais rigorosamente de julho de 1945 a julho de 1947. Um facto negativo a registar, das 1340 máquinas novas em folha, só 1323 é que desembarcaram em França e fizeram parte do parque da SNCF, as 17 em falta, perderam-se para sempre, no dia 11 de abril de 1947, sucumbiram no naufrágio do navio norueguês Belpamela, durante uma violenta tempestade ao largo da Terra Nova, indo parar ao fundo do mar. As 17 locomotivas perdidas para sempre, foram as 141R 1220 à 141R 1235 e ainda a 141R 1241.

Estas locomotivas foram construídas nos Estados Unidos como dissemos e também no Canadá, da seguinte forma:

Número SNCF Construtor País Números de Fábrica Quantidade
141R 1 a 141R 180 8867 a 9046 180
141R 181 a 141R 440 74054 A 74313 260
141R 441 à 141R 700 72254 a 72513 260
141R 701 à 141R 765 72699 a 72763 65
141R 766 à 141R 806 72857 a 72897 41
141R 807 à 141R 860 72928 a 72981 54
141R 861 à 141R 980 73934 a 74053 120
141R 981 à 141R 1020 74833 a 74872 40
141R 1021 à 141R 1120 9112 a 9211 100
141R 1121 à 141R 1160 74916 a 74955 40
141R 1161 à 141R 1196 72982 a 73017 36
141R 1197 à 141R 1200 73046 a 73049 4
141R 1201 à 141R 1300 75010 a 75109 100
141R 1301 à 141R 1340 CANADIAN LOOCOMOTIVE WORKS 2368 a 2407 40

As primeiras 700 eram alimentadas a carvão, enquanto as restantes eram a fuel. Como curiosidade, importa referir que a primeira locomotiva da série a 141R 1, saiu de fábrica em 30 de julho de 1945 e a primeira locomotiva a ser desembarcada em França, foi a 141R 466 e foi-o no porto de Marselha no dia 17 de setembro de 1945. A última da série a 141R 1340, foi entregue pela fábrica canadiana em julho de 1947 e foi desembarcada no porto de Cherbourg em 5 de setembro de 1947.

Esta série 141R foi distribuídas por todosos depósitosdas cinco zonas da SNCF, englobando toda a França. Já foram todas demolidas, com exceção das 141R 420, 568, 840, 1108, 1126, 1187, 1199, 1244 e 1298, que se encontram preservadas em condição de património industrial histórico.

Estas locos tinham 5,15 m2 de superfície de grelha, 2 cilindros de simples expansão, 15,17 bars de pressão na caldeira, 115,2 t de peso em ordem de marcha (as de carvão), 2150 Kw de potência a 80 km/h, 198 kN de esforço de tracção e uma velocidade máxima de 100 km/h e um comprimento de 14,639 m (só a locomotiva) e 8,85 m o tender que por sua vez apresentava uma tara de 75 t.

Em matéria de modelismo, a 141R foi fabricada pelas seguintes marcas, nas mais diversas escalas.

About Luis Moreira

Check Also

CP – Venda de Material Circulante para Operadores Argentinos

A CP, assim como as suas congéneres europeias já por várias compraram e venderam material …